Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Simbiose

 

Quando acordo, ainda no frescor da madrugada,

surpreendo-nos abraçadinhos.

Como conchas no fundo do mar,

percebo que nada mudou.

 

O amor que existia,

em nossa juventude descomedida,

aquietou-se, mas permaneceu entranhado

em nossas almas como os elos de uma corrente.

 

Seu rosto, desprovido das tintas do medo,

das máscaras de defesa,

parece uma criança num sono

velado pelos arcanjos e suas harpas.

 

Sem querer perturbá-lo,

mas a posição incômoda de observadora

faz-me farfalhar os lençóis onde repousa,

e  ele murmura algo incompreensível.

 

Suas mãos tateiam o leito

buscando meu corpo que antecede

o seu gesto preciso que,

aconchega-o ao seu numa simbiose perfeita.

 

Fecho os olhos e,

agradeço a Deus por mantê-lo aqui.

Desce em mim uma paz profunda,

entrego-me a Morpheu...

 

Juiz de Fora

10/06/05

bette vittorino
Enviado por bette vittorino em 06/09/2006
Código do texto: T233931
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
bette vittorino
Juiz de Fora - Minas Gerais - Brasil, 62 anos
278 textos (30115 leituras)
1 áudios (15 audições)
4 e-livros (250 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 08:40)
bette vittorino