Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

AMANDO POR DELÍRIOS/TÂNIA AILENE-Graça da Praia das Flechas-EMIRIANO ROCHA

AMANDO POR DELÍRIOS

TÂNIA AILENE

 

Sou suplício, sou delírios, sou mulher...

Um grito na imensidão por ter.

Entrego-me, no abandono, na esperança

Do ser que quero ter...

Acho-me na encruzilhada; Onde?

Se deixo com você meu ar

Corpo em brasa, ser suas delícias

Do meditar ao flutuar

Sou paixão!

Tua emoção!

Sempre sensação!

Sem distâncias, não serei lembranças

Sou presente a cada dia

Na poesia do amor

Quero êxtase com sabor

Vou muito além da sua imaginação

Amando com delírios

Sou e serei sempre

O tesão maior da tua vida!

 

TÂNIA AILENE

RIO DE JANEIRO

28/08/2006

 

MEUS DELÍRIOS!

Graça da Praia  das Flechas
 
 Agosto de  2006
 
Qual  dançarina  me  vejo
A flutuar nas  cinzas  de nosso amor
Que era só  de minha parte
Tu fostes embora
Nada de ti me restou...
Ficaram mais desenganos
De um querer para mim tão insano
Que somente eu o sentia
Porque na realidade
De tua parte ele não existia...
Eu num desejar tão demente
Por alguém que estava
Sempre de mim ausente...
 
Como sempre, doei-me toda
Deixei-me levar
por mais uma armadilha
Mas, como louca que sou
Vou seguindo
Procurando por minha trilha...
Como profana
Chamei-te "Meu Anjo"
Pensei  teres vindo
Do Céu, para de meus pecados
Me salvar
Mas a única coisa que quisestes
Foi no Borralho mais me afundar...
Tu agistes como o outro
Fizestes
toda minha sensualidade aflorar
Quando vistes que me possuías
Sentiu-se orgulhoso
Deixou-me em frangalhos
Pisastes em meus sentimentos
Fostes embora,para outra conquistar...
 
Continuo aqui sozinha
Mas não consigo chorar
Porque o Amor
Que tão intenso por ti eu sentia
Catei-o das cinzas do borralho
Em caixinha de Estrelas o coloquei
Na madrugada fria correndo pela areia
Nua fiquei
Fiz para ti uma prece
Soprei todo meu amor
Para o meu fogoso Mar
E Nua dancei
 
 
DELÍRIOS ... FANTASIAS ...
EMIRIANO ROCHA
 
Quem as não tem???
A Ilusão do sentir
A Serenata do Amor
A Cantada nocturna
O Ser apreciado ...
Platonicamente Amado ...
Desejado ...
Sentir afinal aquele calor ...
Aquele ardor
Mesmo na distancia a fluir
É lindo ... apura nossa Emoção
Mesmo num sonho ao alvorecer
trocado entre poemas e rimas
Melodias ... uma canção ...
Sobrevoamos vastas Campinas
Rumo à Felicidade
E mesmo findando perturbação
pois que não seja vivida realidade
Ou mesmo que vivida seja
nos faça sofrer
recordemos sem mais saudade ...
O Sonho Nos Oferta A Luz ...
Nos aponta um rumo .. uma continuidade ...
Renova nossa Alegria
 
 
Tânia Ailene Nua Poesia
Enviado por Tânia Ailene Nua Poesia em 09/09/2006
Código do texto: T235955
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Tânia Ailene Nua Poesia
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil
886 textos (30278 leituras)
28 áudios (1362 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/16 09:52)
Tânia Ailene Nua Poesia