Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Corpos

                                                            Vem absorvente desafio e desatino.
 Uma alienação que é insaciável,
 Um ósculo jamais irrecusável...
 Um fogaréu da libertina paixão!
                                                   
                                                     
 Um amor que nos faz cativo,
 Que nos transforma em bandido
 Furtando  a nosso livre-arbítrio.
 Se sentir escravo da verdade!

 Sermos prisioneiros dos sentidos.
 Sermos  rebeldes da vil  moral...
 Fazendo dos corpos esconderijos
 Da latente busca do prazer.
                                                       
                                                       
                                                       


                                                       
Poeta Mario Macedo de Almeida
Enviado por Poeta Mario Macedo de Almeida em 16/09/2006
Código do texto: T241365

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Poeta Mario Macedo de Almeida
Guarujá - São Paulo - Brasil, 55 anos
676 textos (39565 leituras)
3 áudios (248 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 08:16)
Poeta Mario Macedo de Almeida