Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Poema 0815 - Quando sou sol


 
 
Insano, sou quando banho seu corpo,
sou a água que limpa a alma,
deixando semente na pele, dentro e fora,
quando meu gozo entra no seu gozo.
 
 
 
Paixão é quando sou sol,
nas mãos seu corpo,
o nu cativo de meus desejos loucos,
vezes insanos, como gosta.
 
 
 
Sou prazer quando busco seus recantos,
atalho seu sexo,
invado o caminho que um dia traçou,
um dia seu, hoje meu.
 
 
 
Palavras que a noite escreveu nas manhãs,
as vertigens impostas pelos não(s),
a música doce de um sim,
como o café depois, o cigarro e nós.
 
 
 
Deixo hoje seu corpo ungido do meu,
penitente de pecados e abusos,
deixo também a promessa de voltar,
à noite, amor, pela manhã volto a ser sol.
 
 
 
18/09/2006
Caio Lucas
Enviado por Caio Lucas em 18/09/2006
Código do texto: T243316
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Caio Lucas
São Paulo - São Paulo - Brasil, 68 anos
4429 textos (116243 leituras)
1 e-livros (166 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 00:03)
Caio Lucas