Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Poema 0818 - Uma manhã




Era um mês de primavera qualquer,
ou nem era mês, nem primavera,
um campo limpo pra andar descalço,
um corpo ao lado, de mãos juntas,
como ontem acabou, outra vez pra recomeçar.


Era uma manhã de sol e chuva,
que sonhamos noite passada,
a voz ficou calada no teu lado da cama,
a janela abriu e fechou a lua
e nem o clarão nos fez voltar os olhos.


É quase setembro ou um outro dia de flor,
inventei um carinho que as palavras abafaram,
gritei uma canção pra me mostrar,
foi quando o silêncio calou o beijo,
não sei se aprendemos, e, voltamos a nos amar.


Se um dia perder o sol dos teus olhos,
como já me perdi pelos caminhos desta minha vida,
não sei como é passar o ano sem primavera
ou uma noite sem ti, sem meu amor por ti,
vai ser como um arco-íris em branco e preto.


20/09/2006
Caio Lucas
Enviado por Caio Lucas em 20/09/2006
Código do texto: T244925
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Caio Lucas
São Paulo - São Paulo - Brasil, 68 anos
4429 textos (116251 leituras)
1 e-livros (166 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/16 01:57)
Caio Lucas