Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Poema 0829 - Girassol



 

É impossível ver o céu

quando o girassol está frente aos seus olhos,

o teto amarelo some nas nuvens do quarto,

até a morte corre com medo de perder.



 

É fácil ser rei quando se tem súditos,

amor quando o amor vem à tarde,

paixão quando a boca beija o seio,

brasa quando o tesão incandesce a alma.

 

 

Não sei fingir amor, nem ao menos calma,

fiz a água azul ao meu gosto,

disfarce colorido dos traumas,

tingi as lembranças dela, de tudo, até a saudade.

 

 

Não sei dizer adeus, de amor não sei me despedir,

deixo uma promessa para mais tarde,

como foi nossa passagem no quase findar do dia,

daqui a pouco é o recomeço no começo da noite.

 

 

Voltei ao amarelo, azul, cores minhas, te dou,

dôo-me a seu sentimento, um, qualquer um,

autêntico, exato no tamanho que queira,

no amor que tenho em um pedaço inviolável de carne.

 

 

Volta girassol ao sol, ao sol volta girassol,

assombra de amarelo o dia da morte do amor,

faz nascer novo de novo,

como a verdade que digo ao ouvido da mulher que amo.

 

 

27/09/2006



Caio Lucas
Enviado por Caio Lucas em 27/09/2006
Código do texto: T250855
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Caio Lucas
São Paulo - São Paulo - Brasil, 68 anos
4429 textos (116244 leituras)
1 e-livros (166 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 05/12/16 06:46)
Caio Lucas