Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto


A palavra é doce, como mel a ambrosia!
Que sola na brisa morna, arestas a maresia...
Se me amas... O dizer do amor é poesia!
É sonata do zéfiro pra Duna luzida
como eu, a perfeita amante ao luar reluz e versa que é vida! Luzes que permeiam os contornos emocionais
dela e meu... Se me amas, perpetua-me no lume que a ti compraz. Entrega-te a esse amor sem temer o que do amor é voraz! Não permita procelas trazidas no mudar o vento sagaz, desarvore o senso, recitando que um dia me amarás... O verbo precipita no presente, eu amo! Se amou no passado como tanto amei, no futuro também a ti amarei! Como o mar, amam as lousas, os luares ontem cintilados que não mais voltarão! Se cheias ou crescentes serão boas às novas, nos luares de então! Se me amas, serei a sua magistral canção! Se me amas no amor que me vivencie amando a razão...


“A Poetisa dos Ventos”
Deth Haak
11/8/2005 


Leitura recomendada: Dizer dum Amor....
Deth Haak
Enviado por Deth Haak em 28/09/2006
Reeditado em 28/09/2006
Código do texto: T251445
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Deth Haak
Natal - Rio Grande do Norte - Brasil, 57 anos
547 textos (65368 leituras)
50 áudios (9719 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/16 00:09)
Deth Haak