Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Gestos de amor


O que seria dos meus dias sem a espera
Dos minutos preciosos trocados em sua companhia?
Como o concertista que toca seu piano desligando-se do mundo,
Viajando nas notas e compassos que o amor à música lhe oferece.
Como a águia que corta o céu em um vôo prolongado buscando,
Em seu olhar encontrar pouso seguro que lhe abrigue da tempestade.
Como o violonista que dedilha no acústico à meia luz o som da bossa nova,
Emocionando corações enamorados que dançam no recinto.
Como o sonhador que acorda sorrindo ao novo dia de criações,
Possibilidade de imaginação e realização em cada gesto simples ou complexo.
Como o poeta que vai para praça pública declamar poemas no coreto,
Expressando em palavras os sentimentos que lhe abastecem o espírito.

O que seria de meu coração ansioso por bater mais forte á uma palavra sua
Mesmo que trocada em ondas sonoras transmitidas á distância?
Como o telégrafo que enviava mensagens de amor em código Morse,
Em tempos de guerra quando as separações eram longas e inevitáveis.
Como cartas entregues por carteiros que se esmeram em fazer chegar ao destino,
Letras apaixonadas, tremidas no calor da emoção do momento em que foram escritas.
Como um espírito que sai de seu corpo durante a noite e transpassa um oceano,
Para visitar sua amada adormecida beijando-a num sopro de eternidade.

O que seria de meu amor sem a fogueira que mantém aquecida a ternura em dias frios,
Na esperança de torná-la braços entrelaçados no pulsar de corpos febris?
Como vida que dividida se torna uma no enlace de verdades que se somam,
Acasalam-se em forma de caldas quentes em sorvetes gelados.
Como os dois ponteiros de um relógio de parede que ao marcar a meia noite param,
Conjuntos, juntos, e recusam-se a marcar o tempo após o encontro definitivo.
Como o artista plástico que vai para o concreto colorir a cidade cinza,
Com luminosidade e cores fortes, intensas e pulsantes de paixão e vida.
Como o florista que embalado pelo olhar de uma bela dama arruma o melhor buquê,
Entregando o ramalhete de rosas vermelhas perfumadas como signo de encantamento.

Assim é meu amor, em gestos, em frações que se tornam inteiras em profundidade.





Andretti
Enviado por Andretti em 29/09/2006
Código do texto: T252581

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Andretti
Arapiraca - Alagoas - Brasil
599 textos (12975 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 03/12/16 17:55)
Andretti