Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

MEU EU VERDADEIRO!

“Eu faço versos como quem chora
De desalento...de desencanto
Eu faço versos como quem morre."
 Manuel Bandeira (1886-1968)

Sinto nas flores
as tantas dores
dos meus amores;
folhas caídas
no chão, perdidas,
descoloridas...
Eu amo o mar
quando o luar
lhe vai beijar;
amo a beleza
da natureza,
amo a incerteza...
Amo teu ser
que posso ver
e não vou ter...
Eu amo a praça
onde ela passa
cheia de graça ...
Quero ser forte,
mesmo sem sorte
até a morte;
quero ser nobre:
isso não encobre
que sou tão pobre.
Eu sou tão rico
e quando fico
tão só, dedico
meu pensamento
pra alguém que o vento
faz meu momento
ser mais feliz;
a vida diz:
fui eu quem quis;
minha razão,
meu coração,
gritam que não...
Ricardo De Benedictis
Enviado por Ricardo De Benedictis em 19/06/2005
Reeditado em 18/12/2005
Código do texto: T25849

Copyright © 2005. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Ricardo De Benedictis
Vitória da Conquista - Bahia - Brasil, 77 anos
1214 textos (272305 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 03/12/16 05:14)
Ricardo De Benedictis