Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto


ONDE OS SONHOS NÃO VOLTAM...

TÂNIA AILENE



Nasceu!

Uma menina linda

a primeira filha de um casal

assim como todos os pais;

pediam, saúde, sorte, felicidade

e por aí afora, num sábado de abril.

Com o outono brilhante como o sol.

Tive tudo que a vida podia e o que eu queria

nada me foi negado, uma infância feliz,

acreditar em ilusões...

Papai Noel

ele sempre existiu na minha vida,

mesmo quando já sabia não existir.

Bonita, levada, alegre, feliz

filha amada sempre mimada.

Quando nos meus quinze anos

pedi uma mega festa

com tudo que tinha direito.

Missa, as quatorze meninas , baile com valsa

meus pais nada pouparam,

se é assim que você quer terá!

Foi Lindo meu vestido branco

meu cabelo enorme voava nos rodopios do salão

a felicidade estava estampada em meu sorriso.

Mulher me fiz com sabedoria

sempre querendo ser correta e justa com todos.

Hoje vejo a vida com olhos da saudade

lembranças dos que perdi

das coisas que não vivi

do que podia ter feito.

Fui feliz não nego, vivi a melhor época que todos

não tinha a violência de hoje,

mas também não podia chegar

depois de meia noite,namorar no portão.

Casei-me, fui mãe, esposa, dona de casa

trabalhando sempre para ter meu espaço.

Agora vejo porque tive tanta pressa em andar

além do tempo que agora me cobra.

Penso como gostaria de viver o hoje

na plenitude dos meus quinze anos

com a sabedoria e experiência

de quem já não tem porque correr.

Se pudesse voltar no tempo

só pediria uma coisa:

Que eu volte a sonhar!



DONDE NO SE VUELVEN LOS SUEÑOS…
TÂNIA AILENE

¡Fue llevado!
Una muchacha bonita
el primer hijo de un par
así como todos los padres;
pidieron, salud, suerte, felicidad
y para las medidas allí, en un sábado de abril.
Con el otoño brillante como el sol.
Tenía todo que podría la vida y qué no deseé
nada yo me fui negado, una infancia feliz,
para creer ilusiones…
Papa Noel
existió siempre en mi vida,
exactamente cuando persona ya sabia a no existir.
Bastante, conducido, alegre, feliz
amó mimada del hijo siempre.
Cuando en el mío quince años
pedí a un partido mega
con eso tenía derecho.
Masa, las catorce muchachas, bola con el vals que
mis padres nada había ahorrado,
¡si ella es tan pronto como usted desee tiene!
Mi vestido blanco era bonito
mi pelo enorme flied en los giros del pasillo que
la felicidad fue impresa en mi sonrisa.
La mujer I se convirtió siempre con
la sabiduría que deseaba estar correcta y el joust con todos.
Veo hoy que la vida con los ojos de los recuerdos
de la nostalgia de eso que perdí
de las cosas que no viví
de lo que habría podido hacer.
Era feliz que no niego, Viví el mejor tiempo que todo
no tenía la violencia de hoy,
pero también no podría llegar
después de media noche,a namorar en la puerta.
Me casaron, Era madre, esposa, dueño de casa
que trabaja siempre para tener mi espacio.
Ahora veo porque tenía tanta rapidez en caminar
más allá del tiempo que ahora me carga.
Pienso pues quisiera vivir hoy
en la plenitud el míos los quince años
con la sabiduría y la experiencia
de quién no tiene ya porque funcionar.
Si podría volverse en el tiempo
solamente pediría una cosa:
Que eu volte a sonhar!


13/07/2006

TÂNIA AILENE

RIODE JANEIRO

BRASIL

www.umnovoencontromusical.com/nacional/Simone-DefinicaoDaMoca-UNEM.mid
Tânia Ailene Nua Poesia
Enviado por Tânia Ailene Nua Poesia em 07/10/2006
Reeditado em 17/07/2011
Código do texto: T258938

Copyright © 2006. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Tânia Ailene Nua Poesia
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil
886 textos (30277 leituras)
28 áudios (1362 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 08:22)
Tânia Ailene Nua Poesia