Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

PECADOR

    PECADOR
 
 Sou ególatra procuro não tergiversar;
 Rogo ao paracleto divino a me perdoar,
 Que me conceda amor e sare minhas feridas;
 No deotropismo, iluminando as travessias da vida;
 No feérico, vencer as asperezas da esfera terrestre,
 Entre tristezas e alegrias que não seja pusilâmine,
 Ilaíste de vero inserindo o brilho não profilgante.

O tsunami invadiu a minha mente, paire e renitente,
No calor da vida cheia de ócio, levando-me a enxovia;
Cireneico contemplador a procura dos escaninhos confortantes,
Debilitado, procuro perquerir aos meus pecados do dia-a-dia;
Nas minhas atitudes geênicas, procuro a energia asclépia,
Que numa corrente forte e benéfica, venha o perdão onipotente.

Nessas pupilas rútilas e molhadas, mostram o arrependimento;
Do pecador consciente a procura de um refúgio arcano e confortador,
De alma entristecida e aconselhada, procuro um ambiente caliente.
Curtindo os desabafos e as tristezas que rolam quentes e persistentes;
Uma estrela brilhante me chama a atenção no belo firmamento,
Entrego-me ao amor fiel, e as tentações do pecado fazem-me destruidor.

Nos arrabaldes da minha cidade querida, renasce outra vida de esplendor,
Ninguém soube quem era o grande pecador que por arrependimento e amor;
Procurei um calor amigo nos braços e no apego de um amigo, arrebatador.
Apresentou-me um encanto, esqueci o desespero, a cólera, e nutri o amor,
Transformou meu comportamento, tremulou meu coração, é amor, curador.
Trouxe-me vitalidade, vaidade e emoção, nas carícias diárias sentia um rubor.

Verão. Em frente às laranjeiras arreganho minhas janelas para sentir o perfume dela.
Sobre um jardim verdejante, lá estava o amor de minha vida, bela e ofegante,
Perfumada como as rosas da natureza, um aperto no peito e abraços calorosos e divinais.
Rolamos abraçados, com os corpos acariciados sugando o orvalho da natureza magistral que não esqueço jamais.
Por que perdi tanto tempo ao relento e ao sabor da orgia, jamais pensei no que encontrei o néctar, a paz e a minha bela.
 


ANTONIO PAIVA RODRIGUES-ESTUDANTE DE JORNALISMO DA FGF/MEMBRO DA ACI E ACADÊMICO DA ALOMERCE



 
 

.
   
   
   
Paivinhajornalista
Enviado por Paivinhajornalista em 09/10/2006
Código do texto: T259791
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Paivinhajornalista
Fortaleza - Ceará - Brasil
2096 textos (759926 leituras)
1 e-livros (161 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/16 17:28)
Paivinhajornalista