Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Amores

"Dizem que somos seres que temos a capacidade de amar muitas vezes..."

Aos 8 anos-Primeiro amor.Coisa de criança,mas me marcou,ele amigo se tornou.Não tive vergonha em dizer o que sentia,doeu quando ouvi um não.Foi ai que começou minha estrada da decepção.O que mais tempo ficou em meu pequeno coração.

Aos 11-Namoro de portão.O que fazia serenata com violão,do tipo que só pegava na mão.Não durou mais um que só passou.

Aos 12-Amor platônico.Eu era inexistente e nem tentei falar,o olhava distante,foi então que comecei a imaginar.Despertou em mim uma forma diferente de me expressar.

Aos 13-O incenssível,que na verdade se escondia atrás desse título por não saber demosntrar seus sentimentos.Era atento,mas com o tempo deixou de ser.

Aos 14-O que modificou.O que ia e vinha sem firmar nada,o tipo galinha que contava histórias de um amor verdadeiro.

Aos 14-O cantor.Há quem diga que parecia mais com um pato roco.Esse grande amor,que terninar eu não queria,que alimentava meus sonhos de menina,me fazendo acreditar que o amor existia.O que eu mais chorei lamentando sua partida.

Aos 15-O senhor.O que eu acreditava que seria a namorada,talves a maior das ilusões já criadas por mim em minha cabeça pequena que só queria viver um grande amor.

Aos 16-O sofredor.O que eu machuquei,desprezei e não dei valor.O que mais demostrou e talves o que mais chorou.Não pude mentir,sentimentos já não tinha,preferi partir

Aos 16-O outro cantor.Que quando cantava me olhava nos olhos me fazendo chorar.Paixão fuminante de um filme de romance.Amor mal resolvido que pedi muitas vezes que voltasse.

Aos 17-O sonhador.O que falava e pouco fazia,o irmão que o tempo transformou.O que mais tempo ao meu lado ficou.O que crescemos juntos e vi deixar de ser menino.

Aos 18-Amor proibido.Daqueles que não se pode tocar,que imaginar e sonhar é o que se resta fazer.O que desconhecia a palavra amor.

Aos 19-O cavaleiro.Montava cavalos,mas não era o príncipe encantado.O que me fazia sentir-me mulher e mais uma vez acreditar que seria eterno.

Aos 19-O jogador.Artista das palavras,que fazia todas se sentirem especiais e com o seu jeito galanteador me conquistou,depois indo embora jogando suas palavras ao vento.

Aos 20-Os indecisos.Tanto em comum que até seus nomes o mesmo.Os que disseram o quão maravilhosa eu era,mas que infelizmente não poderiam ficar,pois eram pouco para mim.E assim terminaram por destruir o sonho de um amor eterno.
Borboleta da noite
Enviado por Borboleta da noite em 20/10/2006
Código do texto: T268765
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Borboleta da noite
Porto Alegre - Rio Grande do Sul - Brasil, 30 anos
320 textos (14224 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 05/12/16 06:58)
Borboleta da noite