Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Aprenda ser poeta

Meus dedos não escolhem as teclas perfeitas
minha voz entristece e rejeita
pranto sozinho me invade a falta do amor
Não estou criando o prazer sem sabor

angustia não olha por dentro
pois respeita a fibra no fim
esquecida invadida
Alma vazia de mim

Nas quatro paredes sufocam
não querem falar
minha mente idiota
insiste perguntar

como sair
se a saída é o amor
como sorrir
Se minha rosa não muda de cor

Fechado sem textura
do encanto ternura
do tédio que não passou
escandolo só mais uma aventura
tão pobre criatura
Que no pensamento ficou
escondido por ventura
Na expectativa que amou
o sonho da literatura
que o meu coração poeta ficou.
FBoneco
Enviado por FBoneco em 20/10/2006
Código do texto: T268900
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
FBoneco
Vitória - Espírito Santo - Brasil, 35 anos
173 textos (10450 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 10/12/16 11:02)