Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Enfim Maria

 
Bastou um encontro leve,
quase furtivo,
com a graça do teu olhar expressivo
pra se tornar um ato repetitivo,
instintivo,
necessário.
Reação automática, fugir,
te repelir.
Me proteger.
Te agredi. Por susto...
Medo de não resistir
Instalou-se em mim
uma saudade insistente,
por vezes impertinente,
absurda!!
Teu jeito moleque
encravado em mim.
 
Meu pleito inflado
por uma saudade incoveniente.
Exigente.
Fazendo sofrer.
Eu, apavorada,
clamando pelo meu bom senso.
Em meu ringue interior,
uma batalha sangrenta travou-se...
Meus principios arranhados.
Meus tabus afrontados
Meu coração
com tua imagem tatuada.
Eu ferida.
Assustada !!
Doendo demais...
Sentimento indefinido,
me encantando!!
A necessidade de ti me incomodando
 
Um desejo único me comandando
A incompreensão me freando...
O primeiro beijo...
me domando.
Tudo tão rápido, confuso...
tão bom...
Repleto de temores
Regado de tremores
Naquela madrugada
(eu) despudorada
diante da platéia de estrelas
(alucinada)
aceitei a mutação.
 
A lua nossa cumplice,
enlaçando-nos, sorria
para assim formarmos,
fora da constelação de Órion,
as mais novas três Marias
 
Má Oliveira
Enviado por Má Oliveira em 24/10/2006
Código do texto: T272530
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Má Oliveira
Sorocaba - São Paulo - Brasil, 53 anos
279 textos (14607 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 11/12/16 06:32)
Má Oliveira