Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Partida

Partida

Entenda que a minha partida não é o ato de renegar nossa história e sim, a única chance de respeitá-la.
Não me arrependo de nada, tampouco estou negando qualquer atitude que tenha tomado ou sentimentos envolvidos, apenas estou protegendo-os do reverso da moeda, do abismo do desamor.
Estou criando o museu da nossa história e espero mante-lo conservado e aberto a constantes visitações, em deliciosas sessões de nostalgia mas não a um eventual revival..
Agora nosso castelo de ilusões está tombado como patrimônio histórico e ninguém mais pode destrui-lo ou mesmo mexer em sua estrutura, nem mesmo nós dois ...
Foi lindo, mais que isso, diria que beirou a perfeição, pois esta , como bem sabemos é uma meta inatingível, a seta do centauro que mira o infinito, mas acabou.
Não enveredemos pelo injusto caminho das culpas nem nos magoemos com acusações que se tiveram algum sentido, se perderam nas inexoráveis brumas do tempo.
Guardemos os átimos de felicidade, os instantes de cumplicidade, os sorrisos em sincronia, os olhares que disseram mais que zil palavras, os sonhos que concretizamos e os que nos deliciaram pelo singelo fato de nos fazer viajar além dos tolos e intransponíveis limites que aceitamos que nos inponham.
Guardemos o sabor dos beijos apaixonados e despudorados, não o dos de obrigação e convencionais.
Guardemos as noites de volúpia e loucura, os rituais de profanação recíproca, sem limites, sem tabus e não o sexo convencional , aquele dito normal e sadio.
Gravemos na memória os que fomos, as personas por quem nos apaixonamos e não as que nos deixamos transformar.
O suor na palma das mãos, o friozinho na barriga, a insegurança , a dúvida da reciprocidade, a alegria em agradar e não  as indefectíveis aparências.
Ignoremos as opiniões dos que se dizem amigos, dos parentes, dos conhecidos ou mesmo dos verdadeiros amigos, por mais que nos amem, não viveram nossas vidas nem compartilharam nossos sentimentos, destes, só sabemos nós e
nossos fantasmas, os que criamos e os que deixamos penetrar em nossa relação.
A partir daqui nossa estrada se bifurca, espero que seu caminho seja enriquecedor e pontilhado com muita felicidade.
Que a nossa história seja uma eterna fonte de inspiração e o bálsamo das noites de solidão, que a estrela que decidimos dividir numa longínqua noite de verão brilhe eternamente e sempre nos banhe com a luz do amor, com o
brilho do que nós fomos ...juntos e que de certa forma sempre seremos.
O amor mudou, não morreu, apenas se transformou numa contemplação serena e num desapego , impossível de conviver com a posse ou com o insaciável monstro do ciúme.
Ame-se, permita-se ser sua fã e amiga , depois,  fortalecida,  deixe-se amar e ame com a intensidade plena da sua beleza infinita, Seja feliz.

Leonardo Andrade
Leonardo Andrade
Enviado por Leonardo Andrade em 27/10/2006
Código do texto: T275188

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (citar o nome do autor e o link para a obra original). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Leonardo Andrade
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil
1568 textos (71179 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 06/12/16 08:46)
Leonardo Andrade