Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Sincretismo da minha loucura



 
 
O mundo despertava em sóbrios tons desejando amanhecer,
da janela um raio de sol anunciava o milagre que meus olhos puderam ver,
nas ruas silenciosas, dormiam os sonhos sobrados no chão;
onde descalços caminhavam sem destino no contexto de pura contemplação.
 
 
O pão parido da terra mostrava sua forma estéril na inexistente partilha da vida,
nas sarjetas escondidas, um rio formado por lágrimas lavava a face desvalida,
o céu perdido em suas cores mortas, mostrava no cinza a ausência do amor,
que tombado mesclava-se aos algozes dessa suja e total condenação.
 
 
Chagas vivas no corpo do herói que até então nutria em si o saber,
velhos desolados guardavam as soleiras onde a vida haveria de passar,
em pé, fora do mundo, o caminheiro aguardava o sim que as bocas calavam,
um tempo pedia a lua nas diversas faces que nas madrugadas buscava por paz.
 
 
Salvei a alma que caminhava comigo na esperança de amanhecer amor,
acordei vestindo paixão nos solos estrangeiros onde o sóbrio é pura ilusão,
renascendo a vida na revelação do milagre anunciado por um raio de sol,
naveguei pelos mares na certeza de que o horizonte não negaria o perdão.
 
 
28/08/2006

Aisha
Enviado por Aisha em 31/10/2006
Código do texto: T278562
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Aisha
Jundiaí - São Paulo - Brasil, 50 anos
791 textos (35175 leituras)
1 e-livros (57 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/16 02:30)
Aisha