Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Poema do riso


 
Um riso que endoidece todas as faces,
pela fresta, a avenida se envaidece...
sublime dor essa que alivia e renasce
e pela cidade um sóbrio louco agradece.
 
Aos recantos, desse mundo esquece,
a dor do sofrer em lágrimas sem amanhecer,
pasmados, emudecidos, sorriem desse entender
e o sol despe o corpo que responde, adeus aos açoites.
 
Que noite!
 
Advém o novo encanto que escarnece da promessa,
veste-se de festa no riso que a todos enaltece,
cai a estrela embriagada sem mais preces...
adentra um pouco na gargalhada que merece.
 
Vai! Canta o hino da colcha de retalhos colorida,
e a mão da velha que fenece no poema que já desce,
na quebranta dessas lágrimas secando as feridas
renasce da luz emergindo novo dia que floresce.
 
07/10/2006

Aisha
Enviado por Aisha em 31/10/2006
Código do texto: T278565
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Aisha
Jundiaí - São Paulo - Brasil, 50 anos
791 textos (35176 leituras)
1 e-livros (57 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/16 17:43)
Aisha