Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

MENSAGEM AO AMOR QUE CHEGA

Não derrames tuas lágrimas por mim,
Já me disseram que eu não valho nada!
Não tenhas saudades de mim,
No fundo todos conseguem
Me esquecer sem muito esforço.
Não tenhas amor por mim,
Sempre foi mais fácil me odiarem
Que me amarem.
Tua amizade já me basta.
Teus "bom dia" são esperados.
Teus "boa noite" aguardados
Para que eu durma bem!
Então, aceito o pouco que me dás,
Porque nas vezes que esperei muito,
Me deixaram esperando,
Enquanto iam a outros encontros!
Aceito de bom grado o teu beijo,
Porque dura pouco
E custa pouco a ti.
Dura-te apenas este instante
E, para mim, a eternidade.
Não perderás nada
Com este beijo
Pois vives dando-o de graça
E nem te lembras a quem destes ontem,
Como não te lembrarás que estás me dando hoje.
Já que a mim foi negada
A eternidade que se
Encontra no grande amor,
Contento-me com os pequenos amores
Como os que, por breve instante,
Pessoas como tu me privilegiam.
Não tenhas por mim compaixão
Já que logo me esquecerás.
Sou como o arco-iris que
Dura pouco e enquanto dura
Desperta encanto e admiração.
Só irás lembrar de mim
Nos dias de chuva
Porque nos dias de sol
Encontrarás outros encantos
Em que repousarás os teus olhares.
Portanto, não derrames as tuas
Lágrimas por mim. Economiza-as
Para as tuas próprias dores.
Já que das minhas somente eu sei
E por elas nem tenho mais
Lágrimas para derramar.
Sê minha amiga distante
Não te aproximes demais
É o que te peço, porque
Meu coração sempre andou abandonado
E quando alguém como tu se aproxima
Ele se ilude facilmente.
Não faças isso (de novo) com ele.
Ele não tem culpa de ser assim.
Não tem culpa de ter saudade.
Por isso, não tenhas amor por mim
Se não puderes me prometer
A eternidade.

02.11.06
Paulo Sergio Medeiros Carneiro
Enviado por Paulo Sergio Medeiros Carneiro em 02/11/2006
Reeditado em 02/11/2006
Código do texto: T280187
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2006. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Paulo Sergio Medeiros Carneiro
São Paulo - São Paulo - Brasil
63 textos (9680 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 11/12/16 10:34)
Paulo Sergio Medeiros Carneiro