Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Crisântemos

Quando tua alma for elevada ao Céu
A minha lá já estará
Desejo que nem lá nos separemos
Que lá, como hoje, mesmo sem toque
Só de alma nos amemos.

Quando tua alma for elevada ao Céu
Quem eu serei a contestar-te, anjo?
Chorarei por ocupares o firmamento
E por seres uma estrela naquele
E não, no meu Céu.

Quando tua alma reclamou a minha
A presença dela no teu sono
Fiquei com os olhos abertos, observando
Quanta candura há no teu sono
Sei que me queres bem.

Quando o teu corpo reclamou o meu
Apresentei-me num abraço
Forte e voluptuoso, ardil, carinhoso
Teu corpo no meu corpo
A gozar o atravessar das horas...

Quando hei de acordar?
A mim não importa mais...
Quero continuar contigo
Alimentar de Prazer o teu Sorriso
E tua alma inquieta, de Paz.
Andrié Silva
Enviado por Andrié Silva em 07/11/2006
Código do texto: T284588

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Andrié Keller ( baadermeinhofblues@hotmail.com ) Brasil - http://www.recantodasletras.com.br/autores/andrie). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Andrié Silva
Salvador - Bahia - Brasil, 27 anos
912 textos (98437 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 20:33)
Andrié Silva