Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Insuspeitos

Quando a lua alunissar sobre a sacada
e pôr cortinas de luar no casario;
quando as janelas fecharem
suas pálpebras pesadas
e o silêncio pernoitar nas oficinas;
quando as trêmulas pupilas de néon
vigiarem a insônia das vitrinas
na fria palidez dos manequins:
tu terás, por espelho, aquela estrela
onde, à noite, nossos olhos se encontram...

Quando o sono de concreto da cidade
não ouvir a sinfonia dos motores
e o balé dos passos transeuntes
se evadir do tablado das calçadas;
Quando exaustos os amantes naufragarem
envoltos nas velas dos lençóis
e os cães abandonados farejarem
um rastro de afeto nas lixeiras:
por maior a distância entre nós,
é menor que o elo que nos une.

Quando à sombra das marquises se exilarem
os perdidos que na noite se encontram
e os gatos em orgia musical
arranharem a lua nos telhados,
quando em código secreto e universal
as estrelas dialogarem com os lagos
e os relógios de parede se insurgirem
golpeando o sossego dos tijolos,
quando tudo morre um pouco em desaviso:
insuspeitos conspiramos conta o tempo...




Vaine Darde
Enviado por Vaine Darde em 09/11/2006
Código do texto: T286146

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Vaine Darde
Capão da Canoa - Rio Grande do Sul - Brasil
543 textos (83355 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 14:26)
Vaine Darde