Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

TRISTE!!!




Você,
 a delicadeza mágica do amor,
Que, de tão suave,
Parecia levitar.
Confundindo meus olhos,
Corando minha face,
Petrificando meu corpo.
Pude maravilhar-me
Com a fina flor do encanto.
Sua voz, mais parecia
Um canto entoado com maestria,
Revestido por um veludo harmônico
De copiosa beleza.
Seu andar gracioso e elegante
Logo foi se distanciando.
Por demais supliquei sua volta.
Nem sequer um aceno.
Ainda pude avistar com dificuldade,
Seu esguio vulto,
Perdendo-se na imensidão do vazio.
Ainda hoje busco contradizer o destino,
De alguma maneira,
Ainda que utópica e insana,
Retroceder ao tempo
Para encurtar a distância,
Preencher a lacuna da solidão
E dizer sem rodeios
De minha dolorosa sofreguidão.
Sempre quando a noite vem,
Feito um encosto vejo sua aparição.
Sua pele alva, quase transparente,
De uma brancura indelével e inacessível.
É a paga imposta por minha aversão ao amor.
Sou o estereótipo da degradação.
Vez por outra, acendo uma vela
Tentando clarear o amor que se foi,
Sem ao menos por eu, ser notado e amado.
Quantos subterfúgios usei,
Esquivando-me da felicidade !
Abro os olhos, avisto o infortúnio
As quantidades de avarezas se multiplicam.
Paulo Izael
Enviado por Paulo Izael em 28/06/2005
Código do texto: T28661
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Paulo Izael
São Paulo - São Paulo - Brasil
206 textos (27425 leituras)
1 áudios (171 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/16 04:16)
Paulo Izael

Site do Escritor