Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

A CLAREIRA CONVIDA AO FOGO

José António Gonçalvees

A clareira convida ao fogo
a água ao amor no mexer da terra
e do levantar das plantas no verde
dos tapassóis quando faz sol

É uma mão aberta por sobre a colina
alcançando a voz que vem no encalce
das andorinhas sem que se saiba ao certo
se isso quer dizer: é Primavera e sorrio

No vácuo dos braços palpita um hesitante
momento de uma memória que permanece
com o olor a tapetes a casa silenciosa a vela
acesa na imensidão do escuro soprando a alma

E recolho-me a um canto na prateleira lenta
dos expectantes dos esperançosos no grito
que há-de acordar a tarde e preparar a viagem
para outras jornadas iguais às que estão adormecidas
nos beirais de antigos lares de cidades velhas
e de barcos varados sem missão a cumprir no mar

Logo esqueço tudo e afasto o brilho
dos olhos o fulgor das manhãs de ontem
o vaivém habituado às imensas regras do tempo
ao passar dos dias dos meses dos anos
e retorno à clareira que convida ao fogo
e à água onde o amor germina
no mexer da terra
no cheiro dos girassóis
e deixo-me estar


José António Gonçalves

(inédito.13.06.04)

JAG
http://members.netmadeira.com/jagoncalves/
JAG
Enviado por JAG em 29/06/2005
Código do texto: T29129
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
JAG
Portugal, 62 anos
117 textos (41779 leituras)
4 áudios (187 audições)
1 e-livros (28 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 07/12/16 09:17)
JAG