Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Manha de orvalho

No sol radiante de uma manha de orvalho,
Nos olhos cegos de um guardião sagrado,
Na terra fria e árida do deserto negro,
No misterioso palco de espetáculos
Finalmente pode se encontrar um flor;
Uma doce rosa sem espinhos
Esbanjando beleza e suas pétalas
Oh, suas pétalas,
Parando cada gota de lágrima das chuvas;
Sorrindo um novo amanha
Sobre um sol radiante em uma manha de orvalho...

Vire as páginas de sua vida,
O primeiro ato já se concretizou.

Abra suas pétalas para o norte,
Siga alem de onde a luz do sol lhe guiar
Suas raízes estão profundamente presas ao solo
Mas você ainda pode crescer
Iluminar o campo nas noites frias de inverno
Refletir a luz da lua, todas as madrugadas;
Todos os bosques...

Viva e deixe viver,
De esperança para não chorar
Pare cada gota de lágrima da chuva
Em cada uma de suas pétalas vermelhas
O sangue do guardião sagrado corre em ti
Proteja então o misterioso palco de espetáculos
Da terra fria e árida do deserto negro
Pois tu foi encontrada, ó doce rosa sem espinhos
Para sorrir um novo amanha.




                                                               Fernando Bins Sandi
Fernando Gaia
Enviado por Fernando Gaia em 15/11/2006
Código do texto: T292079
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Fernando Gaia
Caxias do Sul - Rio Grande do Sul - Brasil, 26 anos
14 textos (1079 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 03/12/16 02:58)
Fernando Gaia