Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

ÉRAMOS NÓS

Éramos nós no mar
Da vida
A navegar
E rindo.
E era lindo existir.

E éramos duas mãos dadas
E almas libertadas
No vento da paixão.
As velas estufadas,
A nave sobre as ondas
Em busca de luz.

Sem ti não existia
Nem paz nem alegria
Vivia a vegetar.
Se ria era por pouco,
O riso de um louco
Largado ao rocio.

Um dia tu viestes
E pagaste o resgate:
Livrou-me do seqüestro.
E eu, violinista sem maestro,
Magicamente, presto,
Aprendi novas canções.

E quando o mar surgiu
E me deste a tua mão
Sem medo fui ser
O que outrora nunca fui:
Navegante de mim,
Grumete em teu viver.

E éramos nós
E o mar bravio
A querer nos engolir.
Resistimos a tantas vagas,
A mil procelas infernais.
Chegamos a distantes ilhas,
Abraçamos com os olhos
O litoral dos continentes.

Éramos nós
E parecíamos um só.

Mas
Tudo acabou
E ainda não sei o porquê.
O vento cessou,
O mar acalmou,
E o teu desejo de navegar
Começou a fenecer.

E já não éramos nós.
E já não andávamos
De mãos dadas.
O violino se perdeu nas ondas,
O silêncio cobriu
As músicas e a procela.
Tudo pareceu parar.

E uma ilha atraiu teus olhos.
Um desejo de ser só,
Um desejo de mãos livres.
E me disseste, indolente,
Que foi bom ter vencido
O mar, a tempestade, a distância,
Mas
Uma vitória de Pirro
É só uma derrota disfarçada.

E sumiste.

E eu e o mar
Somos um só agora,
Na agonia de viver
Outro dia sem ti.

Francisco C
Enviado por Francisco C em 22/11/2006
Código do texto: T298149

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (www.franciscocampos.recantodasletras.com.br). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Francisco C
Porto Velho - Rondônia - Brasil, 48 anos
363 textos (25675 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 07/12/16 14:41)
Francisco C