Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Naveguei, sina...

  Já não sei quantos ventos viajei
Para adorá-la, querubina.
Tréguas e léguas entre mares eu sonhei,
Deliciando o teu mel, que emina.


  No decorrer de caminhos torturei,
E corrompi meu peito. Alienaram-me a mina ...
Enquanto, folhas em branco procurei,
Para não desprender-me do tempo, que ensina.


  Vez em quando galfinho um porto sentido que sei.
Mas guardo para a varanda a propina...
Conceber o belo tesouro que nela enterrei.
Por bem e pelo resto, a natureza afina.
Alcebíades Segundo
Enviado por Alcebíades Segundo em 23/11/2006
Código do texto: T299083

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Com respeito aprópria obra e propósitos utilizados para o conhecimento literário e a evolução da vida.). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Alcebíades Segundo
Guanambi - Bahia - Brasil, 38 anos
163 textos (9516 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 04:11)
Alcebíades Segundo