Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

VIDAS SEM VIDA

Já perdi a conta de quantas

vezes e em quais idiomas,

eu disse "eu te amo"

 

De solidão, lágrimas e saudades,

de querer te presentear com

o brilho das estrelas então,

tudo isso consta da relação do trivial.

 

Narrar a respeito da  ausência que sufoca,

das noites vazias,

do desespero que induz

às profundezas do abismo,

já não tem mais sentido dizer,

faz tempo que conheço os abalos sísmicos...

 

De ter esperança para colher

flores em um novo jardim,para poder

enfeitar com cada espécime o

teu devaneio, já não tem mais jeito,

todas as flores morreram junto com minha fé.

 

Enunciar que desejo ouvir o ruído

do riacho que presenciou a

fragmentação de nosso sentimento,

não exitem fórmulas para acertos,

hoje vivemos em pleno deserto!



 








 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Wil
Enviado por Wil em 27/11/2006
Código do texto: T302708
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Wil
São Paulo - São Paulo - Brasil, 81 anos
2613 textos (84510 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 14:21)
Wil