Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

A FLOR SOLITÁRIA

A FLOR SOLITÁRIA

Ser do sexo feminino
Sensibilidade á flor da pele
Elevando o desejo de abraça o mundo.
Por está te amando...Só desejo amar!

Ao amanhecer...Procuro-o dentro dos teus olhos...
e bem lá no fundo da tua alma enxergo
seu verdadeiro eu encontro. Homem feito...
Amo vê-lo amar o natural, as coisas naturais.
E é este contexto que te torna um ser particularmente único

Sou como uma flor solitária em seu vasinho,
Daquelas que é colocada na janela,
Que se deixa pelo vento levar
Arranca-lhe todas as suas pétalas,
Num simples sopor
Sem a destruir por completo,

Uma flor com raiz...construída em não se entregar,
E não apagar sonhos.
Na certeza da reconstrução...Nunca só...
E Carregando a certeza que suas pétalas
renascem ate das cinzas

Menino grande...Aceito seus momentos
De luta, anseios, dores, Chore, pode vim fraco, te faço forte,
Plante tua raiz no mesmo vaso que se encontra a minha.
E assim não haverá, qualquer vento capaz
De arranca-me uma única pétala.
Margareth Cunha
Gareth
Enviado por Gareth em 02/08/2011
Código do texto: T3135390


Ser do sexo feminino
Sensibilidade á flor da pele
Elevando o desejo de abraça o mundo.
Por está te amando...Só desejo amar!

Ao amanhecer...Procuro-o dentro dos teus olhos...
e bem lá no fundo da tua alma enxergo
seu verdadeiro eu encontro. Homem feito...
Amo vê-lo amar o natural, as coisas naturais.
E é este contexto que te torna um ser particularmente único

Sou como uma flor solitária em seu vasinho,
Daquelas que é colocada na janela,
Que se deixa pelo vento levar
Arranca-lhe todas as suas pétalas,
Num simples sopor
Sem a destruir por completo,

Uma flor com raiz...construída em não se entregar,
E não apagar sonhos.
Na certeza da reconstrução...Nunca só...
E Carregando a certeza que suas pétalas
renascem ate das cinzas

Menino grande...Aceito seus momentos
De luta, anseios, dores, Chore, pode vim fraco, te faço forte,
Plante tua raiz no mesmo vaso que se encontra a minha.
E assim não haverá, qualquer vento capaz
De arranca-me uma única pétala.
Margareth Cunha
Gareth
Enviado por Gareth em 02/08/2011
Código do texto: T3135390
Margareth Cunha
Enviado por Margareth Cunha em 05/08/2011
Código do texto: T3140710
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Margareth Cunha
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil
172 textos (3533 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 21/11/17 12:14)
Margareth Cunha