Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Poema 0374 - Talvez amanhã


Quando um sol faltar no teu amanhã,
não serei eu o deserto da próxima noite,
estranha esta paixão que me acometeu,
de longe chegou e logo partiu sem um adeus.
 
Não quero mais correr contra o tempo,
estou perto de chegar ao ponto de partida,
serei imortal como todo apaixonado,
deixarei plantado aqui na terra um pote de solidão.
 
Já que não tenho lágrimas, jamais vou chorar,
todas as minhas paixões foram diferentes da tua,
estarei longe daquele lugar que me encontraste,
talvez com outra, com outra que queira meu amor.
 
Quando as estradas ficam estreitas, existem atalhos,
a paixão ficou presa em um pedaço do teu sem tempo,
nenhum carinho resiste a tanta distância,
quando um dia acordares estarei muito distante para voltar.
 
Amanhã não direi que foi mentira o quanto te quis,
a solidão não está tão longe para me tocar,
tão perto que pode acordar minha tristeza,
estou partindo, eu tenho tempo de amar, talvez amanhã...
 
23/07/2005
Caio Lucas
Enviado por Caio Lucas em 23/07/2005
Código do texto: T37009
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Caio Lucas
São Paulo - São Paulo - Brasil, 68 anos
4429 textos (116248 leituras)
1 e-livros (166 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 06/12/16 20:01)
Caio Lucas