Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Poema 0377 - Poeta apaixonado


 
O poeta tem sonhos, o homem tem desejos,
foi quando eu a senti por perto,
isto é o que me faz flutuar entre céus,
somam-se os sonhos do poeta
e aos desejos do homem que faz amor.
 
Tenho dúvida, ainda não falei com ela,
minha paixão tem seu cheiro, seu gosto,
um perfume que envolve cada toque
em cada parte do corpo,
como carinho que deixa saudade depois.
 
Querer é absoluto, lhe quero assim,
fiquei com ela a tarde toda,
quando dava por mim dizia seu nome em voz baixa,
gostoso quando tocamos outra pessoa,
bem no meio dos sentidos como me tocou.
 
Ficamos parados entre a alma e o desejo,
é onde quero estar, passando entre a pele e a carne,
é alguma coisa minha se arrastando por dentro,
procuro caminho, deixe que entre,
vou lento e lentamente vou tomá-la inteira.
 
Não tenho poder, não é querer, é magia,
está presa ao destino, entre um desejo e um sentimento,
quando este fio quebrar e cair em um ponto,
marcaremos os corpos de paixão, amor, amizade,
qualquer um deles levaremos para o resto da vida.
 
Mesmo que nunca mais me veja
ou veja todos os dias ou que me troque por outro,
estes sentimentos ficarão tatuados na alma,
pois o fio do sentimento se quebrou,
é como uma tinta que faz uma marca e fica preso.
 
A alma nos eleva até quando for espírito,
até quando for amor, puro desejo ou não,
poderia lhe dizer palavras que não existem,
sons que não conheço e ainda assim me fazer entender,
quero sentar e esperar seus olhos me dizerem: vem...
 
Põe luz na minha alma com um beijo suave,
vou construir um pedaço novo de céu,
outro beijo nos levaria a lugares que não conheço,
deixaria escolher entre três cores que refletem sua alma,
desde que todas fossem parecidas com paixão.
 
Temos todos os momentos e todas as cores:
o vermelho é do prazer que faz queimar a carne,
o branco é a serenidade, a paz do espírito,
o azul são caminhos que fazem seguir entre ruas,
estradas e lugares desconhecidos pelo amor.
 
Deixe que sua pele queime ao meu toque,
o calor vai até à fronte e entra pelos poros,
fazendo-a sentir um gosto que troca a cada desejo,
a cada cheiro, a cada pensamento,
os olhos registram e os levam até à alma.
 
Deixe que seus olhos brilhem, não importa,
que ofusquem o céu, você é o céu,
sua fome, sua comida, é o desejo que reparte,
sua fome é o tesão que provoca,
sua comida é o sexo que oferece.
 
Preciso falar baixinho ao seu ouvido,
alisar levemente seus cabelos e deixá-la flutuar,
que escolha um carinho ou todos, o melhor,
então vou olhar profundamente seus olhos,
dizer do amor que tenho, do meu amor por você.
 
25/07/2005
Caio Lucas
Enviado por Caio Lucas em 25/07/2005
Código do texto: T37470
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Caio Lucas
São Paulo - São Paulo - Brasil, 68 anos
4429 textos (116240 leituras)
1 e-livros (166 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 03/12/16 02:59)
Caio Lucas