Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Se acaso

Andando por ai; pensando ou trabalhando,
se acaso encontrar,
quem eu estou a esperar;
diga-lhe que venha.
Que por ele eu espero, com tanta ansiedade,
pensando na felicidade, que com ele vai chegar.
Fiz uma porção de poemas, dos quais ele é o tema.
Aprendi várias cantigas, bonitas e antigas, das quais sei,
ele vai gostar.
Plantei num pequeno jardim, cercado de alecrim,
tão belas flores, que com suas cores,
vão enfeitar e também alegrar, o dia,
que com imensa alegria, eu ver este alguém chegar.
Neste dia a pensar, me ponho a planejar,
chegando mesmo a ficar, com vontade de chorar.
E então quase a correr, antes de ir a janela ver,
vou até ao espelho e ajeito o cabelo,
com sorriso juvenil, próprio de uma alma infantil.
Numa vaidade confesso, releio então o verso,
que fiz naquele dia, sentindo grande alegria,
Depois de muito reler e até de cor saber,
aquela carta querida.
Fiquei tão emocionada, que já era madrugada
e acordada ainda, o teto eu fitava,
Vendo desfilar uma a uma as frases tão bonitas,
por sua carta trazida.
Agora que está chegando, esta hora esperada,
me sinto atrapalhada e penso que nem vou saber,
o que direito dizer, para você receber.
Mas quero que venha logo; esperar muito não posso,
pois morro de ansiedade e só em pensar na felicidade,
esqueço toda a saudade, que tanto me fez sofrer.
Se acaso você, andando por ai, passeando ou trabalhando,
encontrar este alguém, por quem espero
e que tanto quero; por favor, diga-lhe que não demore,
pois o tempo corre e temos de aproveitar,
o que ainda nos restar, para juntos realizar,
o nosso sonho de amor!

Daize Dorça, 23/07/1980.
Daize
Enviado por Daize em 26/07/2005
Reeditado em 26/07/2005
Código do texto: T37944
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Daize
São Paulo - São Paulo - Brasil, 76 anos
55 textos (3837 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/16 05:59)
Daize