Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

CANTO DOS AFETOS

(para Miguel Russowsky e os seus 82 anos)

Dize-me, ó amada indiferente,
quantas vezes tua voz foi triste, silente?

Dize-me, ó olhos tristes,
quantas vezes morre a solidão ardente?

Ó vento, dize ao ouvido por que necessitam
tantas traduções os afetos que me faltam.

Dize a mim, amigo tão amado,
se em alguma vez eu te soube ausente?

Dize-me, ó amor,
(que sabes do sabor dos sonhos)
quantas vezes libertaste o Cristo
dentro de mim.

Dize-me, ó inspiração fugidia,
que te alheias de mim no pobre verso.

E assim, enfim, amada, que és pura alegria,
não fujas também de mim!

Do livro OVO DE COLOMBO. Porto Alegre: Alcance, 2005, p. 80.
Joaquim Moncks
Enviado por Joaquim Moncks em 04/08/2005
Reeditado em 26/09/2005
Código do texto: T40117
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Joaquim Moncks). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Joaquim Moncks
Porto Alegre - Rio Grande do Sul - Brasil, 70 anos
2581 textos (709665 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 05/12/16 22:57)
Joaquim Moncks