Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

no fremir da paião

             
A brisa...
Sopra e beija meu rosto.
Suave e gelada, sinto frio.
O frio da madrugada.
Aconchego-me, em teus braços.
Procuro em teu corpo o calor.
Para aquecer meu corpo gelado.
Busco em teus beijos, ardentes,
O sabor de teus lábios.
Que desperta meu desejo.
Nestas noites frias, feitas para amar.
Onde deixamos o amor fluir.
Num encontro, de coração e alma.
Sem regras, fazendo do amor.
O fremir da paixão, num delírio.
Indômito, um grito frêmito de prazer.
Nos leva a beira da loucura.
De volta a realidade, eu sinto o frescor.
Da brisa que sopra, e beija meu rosto.
Suave e morna, não sinto mais frio.
Mas sinto o calor, que exala de seu corpo.
Lavando-me de volta ao seu aconchego.
Novamente o fremir da paixão desperta.
Num frêmito desejo, do amor loucura.
 

         



Volnei Rijo Braga
Enviado por Volnei Rijo Braga em 13/08/2005
Código do texto: T42247
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Volnei Rijo Braga
Pelotas - Rio Grande do Sul - Brasil, 69 anos
2314 textos (147457 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 03/12/16 16:08)
Volnei Rijo Braga