Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

AMAR PARA MIM É...

Ter alguém... pertencer a alguém

e, nesse amor que tudo permite

e admite, sentir que existe uma

dualidade, mas que nunca anule

minha individualidade; é dar e

receber carinho, muito carinho,

exercer a cumplicidade em qualquer

situação, e esquecer de dizer

"Te amo!"...

Não!!



Não aceito o amor que se faz apenas

implícito nas atitudes, quero ouvir

que sou amada, valorizada, admirada...

na cama e fora dela, vinte quatro horas

por dia, porque existo e sinto fora

dela também!!



Tem que haver, antes de tudo,

o respeito mútuo, a lealdade

ao ser amado, viver para ele,

mas jamais em função, dele,

conservarmos nossos "Eus"

intactos de influências aquém.



Amar é clarividência, o adivinhar

o outro antes que ele fale e peça;

o carinho deve ser expresso de

forma espontânea, sem cobranças;

amor não comporta condições de "se..."

"se você for espirituoso ( a )",  "se você

for  inteligente, "se você for culto ( a )",

"se você for bonito ( a )",

ETC...

ama - se e pronto!!



Amor a gente não busca, nem acha,

nem escolhe: ele nos busca, nos acha e

nos escolhe, se para nos fazer felizes

ou não, é outra história; aí vai

depender de cada comportamento

individual e em conjunto, porque o

amor não permite que se ande em

paralelas, mas de mãos dadas...



Amor é sentimento e emoção

inexplicáveis! É um doce - amargo,

uma miscelânea de sensações

extraordinárias que ninguém

consegue colocar em palavras;

o que se aproxima um pouquinho

dele é a emoção que sentimos

ao criar uma poesia, ao ouvirmos o

riso alegre de uma criança, o

gorgeio dos pássaros ao amanhecer...



É ver o Sol cobrir o dia de dourado,

como se nele derramasse ouro em pó,

vivificando cada dia como se fosse

o primeiro, com sua energia brilhante;

é ver um luar que a gente acredita

estar deixando tudo envolto num véu

argênteo, especialmente para namorarmos...



É o calor que a gente sente quando,

mesmo distante do amado, nosso

coração acelera, o corpo estremece,

a lágrima aflora e a alma dói,

denunciando a saudade imensa...



Amor... amor não se explica...

se sente...

toda palavra é inútil...

os dicionários esqueceram - se ( ? )

de como definí - lo, mas eu não

me importo, o que me importa é

saber, sentir que sem ele não vivo,

sou pétrea, fria, vazia... seja ele

correspondido, aberto, secreto,

ou nenhuma dessas coisas...



Arianne Evans
Enviado por Arianne Evans em 03/09/2005
Reeditado em 03/09/2005
Código do texto: T47220
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Arianne Evans
Curitiba - Paraná - Brasil, 66 anos
695 textos (57330 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 11/12/16 00:20)
Arianne Evans