Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Poema 0438 - Que tamanho amor é este?


 
Minhas mãos... não gosto vazias quando amanhece,
não dá para acordar sem sentir seu corpo,
nada vai mudar sem você aqui,
não preciso de nenhum deserto destes amores,
me dá o quanto a amo, quero-lhe no mesmo amor.
 
Talvez um dia vá me esquecer perto de algum sol,
nem assim vou deixá-la ir dos pensamentos,
assim que vou guardar tudo que um dia vivemos,
deixa crescer mais, me escuta, amar não é apenas ter,
saberemos quando é hora de parar, vem... me faz feliz.
 
As quatro estações não podem ser primavera,
talvez um outono apareça e vá depois com o vento,
meu olhar fica no meio deste caminho solteiro,
uma boca sem um beijo perde o gosto da outra,
traduz pra mim, mostra que importa ser amante minha.
 
Quero ser um guerreiro, um soldado, um ninja, um amor,
assim meu querer não se perde nem me mata não,
quando voltar das minhas guerras sei que terei paixão;
faço uma placa e colo neste bobo coração: voltei!
Quero ser feliz, quis mesmo dizer que o amor tem poder.
 
Quanto posso querer colocar nestas minhas ilusões!
Vem e me diz como é amar, conta deste querer que entrou,
você em mim que invadiu, volto das minhas batalhas
e nem sei o que tenho quando olho e a vejo em tudo,
ficou grande demais, não sei... que tamanho amor é este?
 
06/09/2005
Caio Lucas
Enviado por Caio Lucas em 06/09/2005
Código do texto: T47970
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Caio Lucas
São Paulo - São Paulo - Brasil, 68 anos
4429 textos (116243 leituras)
1 e-livros (166 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 08:42)
Caio Lucas