Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Poema 0446 - Meus poemas...


 
É poema...
Quando em meus versos confesso os pecados mais deliciosos,
veneramos o amor com a vida colocada noutro corpo como em um altar,
marcamos cada pedaço com carinho, alguns inocentes, os melhores impuros,
como nenhum deus ensina, adoramos os sexos do nosso jeito de fazer amor.
 
É poema...
Quando faço como tu fosses letras nas loucuras que dito ao coração,
como em papel, desenho palavras na tua pele lisa, tatuando carinhos,
és o caminho, também o fogo que aquece minha mais louca paixão,
o sangue invisível que passeia sobre meu corpo de sonhos incomuns.
 
É poema...
Quando penetro teu sexo, misturando líquidos ao prazer tomando posse do corpo,
faço ser contínuo teus sonhos nos êxtases que a ti proponho noite adentro,
preencho teus espaços, completando o vazio que o tesão deixa nos desejos,
levo-te à loucura, à minha loucura de te tomar como um homem que tem amor.
 
12/09/2005
Caio Lucas
Enviado por Caio Lucas em 12/09/2005
Código do texto: T49764
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Caio Lucas
São Paulo - São Paulo - Brasil, 68 anos
4429 textos (116252 leituras)
1 e-livros (166 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 10/12/16 07:23)
Caio Lucas