Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

DEZ DE SETEMBRO



Madrugada, dez de setembro, anunciava...
O luar, de luz prateada, a ermo espargia.
A estrela Dalva lentamente despontava.
Tudo era festa, a final, um varão nascia!

Saudações ouviam-se de toda a passarada,
Com seus cânticos multifários, amanhecia.
Recanto bucólico para uma vida planejada,
Em outras esferas tal como su’alma queria.

Ouvia-se ao longe o restrugir da cachoeira,
Que entoava o coro nesta excelsa sinfonia,
Sob os ruídos harmônicos de uma figueira,

Que ao vento folhas de amor se desprendiam.
Orquídeas odorantes mais perfumes traziam.
Homenagem sublime a uma vida que surgia.

Riva. 012
Rivadávia Leite
Enviado por Rivadávia Leite em 16/09/2005
Código do texto: T51128
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Rivadávia Leite
Vila Velha - Espírito Santo - Brasil
222 textos (4405 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 08/12/16 20:19)
Rivadávia Leite