Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Apelo


Por favor, amor, não permita que me vá agora,
Diga que ainda é cedo, por favor me detenha
Me retenha em teu leito de onde ainda aflora
O calor, o suave olor de tua pele morena.

Eu te peço, amada, que súplice me peças,
Mesmo mentindo, que não me vá por enquanto,
E com um sorriso, mesmo que falso, terças,
Convença-me a ficar, ou com o teu pranto.

Pega-me pelas mãos, puxa-me volta ao leito,
Cinja-me com tuas coxas, aninha-me em teu ventre,
Enlaça-me em teus braços, acolha-me em teu peito.

E após, quando me vires, então, ao final, silente,
Morto em teus braços, finja que estás adormecida
E deixa que eu parta... para afinal cuidar da vida.
LHMignone
Enviado por LHMignone em 21/09/2005
Reeditado em 14/10/2013
Código do texto: T52429
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
LHMignone
Mimoso do Sul - Espírito Santo - Brasil
1319 textos (200609 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 06/12/16 12:38)
LHMignone