Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

ESTIGMA DE UMA DOR



Estigma das minhas algias enexplicáveis,
Trilho as veredas do meu pretérito atroz,
Colho os frutos de pomares abomináveis,
Perfídia  existêncial, silenciou-me a voz.

Minhas pocemas orbitais não fizeram eco,
Ao pertinaz universo que não pára de girar,
De onde vim... vou... sou um tanto babeco,
Do esquema cósmico, não quero questionar.

Se sou estrela triste, porque assim escolhi,
Para neste infinito refulgente querer orbitar,
Em outros planetas em evolução eu já vivi.

Mas neste mundo atual eu quero planejar,
Momentos felizes aos que tantos já sofri,
Para em outra vida, novo corpo apraziar.

Riva. 037
Rivadávia Leite
Enviado por Rivadávia Leite em 02/10/2005
Código do texto: T55690
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Rivadávia Leite
Vila Velha - Espírito Santo - Brasil
222 textos (4405 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 07/12/16 16:46)
Rivadávia Leite