Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

CAIS

                                                     
Perdoe esse jeito estranho
de olhar a vida por detrás de um pano,
de sentir no peito esse amor
insano.

Perdoe se não falo mais
de amor, de olhar sério demais,
de ficar horas e horas
olhando  o cais.

Perdoe se não lhe trato
com toda ternura merecida
deixando de lado o que tenho
de belo na vida.

Perdoe minha falta de sono,
do triste abandono,
de meu sorriso falho,
meio sem dono.

Perdoe minha cara amarrada,
pouco ciúme,
muito queixume,
na verdade azedume.

Perdoe se não sou
tudo aquilo que imaginou,
sendo apenas um homem comum
sentindo dentro de si algo que passou
                                                                 




atanazio mario fernandes Lameira
Enviado por atanazio mario fernandes Lameira em 08/10/2005
Código do texto: T57778
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
atanazio mario fernandes Lameira
Laguna - Santa Catarina - Brasil
364 textos (12407 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 02/12/16 20:26)
atanazio mario fernandes Lameira