Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

NÃO SEI COMO TUDO COMEÇA



ainda não sei como tudo começa. dizem
que por uma palavra, um gesto, um olhar.
eu acho que é por uma cor.
é por ela que explode a febre, o luar,
a constelação de mil estrelas, o amor.

sinceramente, ainda não percebi. mas tudo
brota por uma respiração, um soslaio,
talvez um toque de mãos, a pele, o veludo.
eu acho que é pela dor, pela flor
que lá vem a tempestade como um raio
e, depois, fica a alma, a cegueira, a devastação.

não sei como é, mas luto por saber
como é que germina essa onda, essa fome,
tudo isso, a desordem das coisas, a loucura,
essa terrível pulsação. acho que é o estertor
da aflição sob a névoa longa, eterna, pura
e de todo o seu movimento em redor da terra.

eu acho, pois, que é um feitiço de misteriosas
ilhas longínquas, de florestas ainda sem nome,
o transe que transforma os ouriços em rosas
e guarda-as onde apenas um segredo encerra
a explicação por onde o amor se força a nascer
e se estende pelas sombras em busca do sol.

(esta página acabei-a de ler
nas dobras quentes do lençol).

JOSÉ ANTÓNIO GONÇALVES
(inédito. 22.06.04)

JAG
Enviado por JAG em 15/10/2005
Código do texto: T59850
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
JAG
Portugal, 62 anos
117 textos (41779 leituras)
4 áudios (187 audições)
1 e-livros (28 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/16 19:50)
JAG