Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O NOME DO HOMEM QUE EU AMO.


Quando pronuncio o nome dele
Em uníssono sussurram as vogais
O canto que só a água cristalina
Entoa ao correr calmamente
Depois da queda da mais alta cachoeira.

Quando pronuncio o nome dele
Sinto que a brisa se robustece
Agitando, em dourados mastros,
As letras que parecem flâmulas
Ornamentos de antigos festivais.

Quando pronuncio o nome dele
Parte o som para o universo,
Os fonemas dispersos se agregam
Nascendo, em perfeita harmonia,
Uma galáxia de letras

Em meio a planetas e sóis.
E na magia da metamorfose,
Vogais e consoantes viram estrelas
Que, tendo a grandeza de Polaris,
Iluminam as minhas noites sem ele.

Quando pronuncio o nome dele,
Sinto-me como Julieta e Rapunzel
Debruçadas em medieval balcão,
A espera de seus amados.
Quando pronuncio o nome dele,

Violinos vibram no ar com emoção,
Levando-me da realidade à fantasia
Para dançar a melodia composta
Pelas muitas letras que formam
O nome do homem que eu amo.
Maria Hilda de Jesus Alão
Enviado por Maria Hilda de Jesus Alão em 24/08/2007
Código do texto: T622406

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Cite o nome do autor). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Maria Hilda de Jesus Alão
Santos - São Paulo - Brasil
848 textos (367461 leituras)
19 áudios (10708 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 21/10/17 08:46)
Maria Hilda de Jesus Alão