Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

NOSSAS ULTIMAS PALAVRAS


 

Aqui descrevi a nossa historia
Falei de sonhos, de sentimentos,
De construção de momentos ímpares
Deixei-te sorrisos puros, beijos molhados
Olhares que buscavam complementaridade
Num outro olhar
Falei-te do meu encantamento pessoal,
Do fascínio e do interesse incomum
E, da bela paixão pela vida

 

Falei-te da magia que a nossa áurea
Mostrava-nos
Talvez não tenha te falado do amor
Da forma mais comum como todos falam
Quando digo eu te amo
Mas, te falei, no seu formato, na sua composição
Na singularidade de gestos e atitudes
Talvez na sua forma mais original
Mas o vento arrastou pelas calçadas
Enquanto pedaços do que eu te dizia
Ia ficando em postes, em placas de trânsitos
Em bueiros que a chuva conduzia

 

Agora sei que outros caminhos
Irão surgir, pra mim e pra você
Mas, devo te dizer da importância
Que você teve pra mim na minha vida
Das coisas que você me disse
De como você me falou
E, de que forma me tocou;

 

Mas, também devo dizer a você
Que por onde andares
E quando a outros sonhos se entregar
Eu vou estar presente em você
Na simplicidade e singularidade
De palavras que sou eu te falei
Que você jamais ouvira de alguém
De outra pessoa
Que mesmo depois do “após”
Jamais expressará aquela imagem
Largada, sublime e solta em profundo êxtase
como numa
Pintura de Renoir

 

Que as palavras que te disse
Únicas, singulares e ímpares
Seguiram com você onde quer que você vá
Porque as plantei dentro de você
Como um belo jardim florido
Com beija-flor e borboletas
Como as privilegiadas manhãs
De primavera
E, quando por ventura lembrar-se de mim
Quando tiver com o rosto encostado na janela
Olhando o mar

 

De dentro de você, da sua essência
Desse belo jardiM
Dessas belas manhãs
Como que numa orquestração por “beija-flor”
Fluirão, cheiros, aromas, sons, tênues lembranças
Que me trará de volta a você por breves e suaves momentos

 

Mas, sweet Darling
Já não mais voltarei aqui
Para falar de mim, para falar de você
Para falar de nós
Porque o momento define-se assim
Porque você escondeu-se atrás da tela azul
Porque você voltou a seu único universo
Porque só a sua verdade prevaleceu
Porque você não viu que o que não
Esta dentro da sua “conformidade”
Também têm vida, sentidos, sentimentos
Conteúdo e “essência”

 

E, agora deixei que as janelas da minha vida
Abrissem, e o sol invadiu a minha alma
E, novamente a vida apresentou-se
Bela, exuberante, abundante...
Talvez num outro momento
O universo conspire a nosso favor
E, a magia, o encanto, o fascínio retornem
E, novamente flores do campo, rosas
E tulipas amarelas e vermelhas
Voltem a cair sobre a sua cabeça
Descendo sobre o seu rosto e cobrindo o seu corpo...
Enquanto a rosa abre-se em pétalas
E o beija-flor
Beija a flor...

 

Mas, agora preciso ir, tenho que ir;
O momento sugere
Fui chamado a isso...
Assim você o fez
..................................
Então digo:
Adeus!!! Adeus!!!
Mas, deixo com você a minha lagrima...

 

BY JORGE BRITTO AGOSTO DE 2007

 

JORGE BRITTO
Enviado por JORGE BRITTO em 29/08/2007
Reeditado em 29/08/2007
Código do texto: T629001

Copyright © 2007. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
JORGE BRITTO
Sumaré - São Paulo - Brasil
375 textos (37879 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 18/10/17 15:15)
JORGE BRITTO