Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

 
 
Vamos usar esse momento

para rirmos de nossa alegria,

do nosso contentamento
 


Em viver, mesmo que por um dia,

o amor.
 


Não como os homens conhecem,

mas em plenitude.
 


Plenitude tão desconhecida pelos habitantes da terra

porque ela por si só não encerra,

ela vai mais,
 


Muito mais adiante dessa vida,

onde tantos errantes

querem tomar para si a verdade
 


Pobres mortais

sempre arrogantes e prepotentes

Que não entendem que vivemos contentes

Tendo o vento como sabor
 


Porque somente, vivemos,

assumimos e queremos o amor

 

E isso para eles é um tormento,

mas para quem vive é pura alegria,

extremo contentamento
Mario Pereira
Enviado por Mario Pereira em 29/08/2007
Código do texto: T629934

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (mario pereira). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Mario Pereira
Campos do Jordão - São Paulo - Brasil, 58 anos
445 textos (35404 leituras)
4 e-livros (145 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 21/08/17 07:32)
Mario Pereira