Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

A Insustentabilidade do Amor

Ser-te intensa é por vezes delicado,
pois que apaixono-me como o vento:
a paixão vem, bate, volta - nunca fica.

Não fico-me, não sei ao exato
por quê? Sinto-me impaixonável
como um neologismo de paixão sã
que inexiste, mas persiste na forma.

Ser-te já é inúmeras vezes complicado,
pois que meu amor é amistoso.
Não é de homem e mulher, é de clara.

O meu amor é em neve, feito clara-de-ovo,
nutre e é como o pinto no ovo
está lá, mas ninguém garante que nasce
e se nasce - é órfão

Sabe, um dia eu pari o amor
e abortei-me, como quem foge da cria
agora nada me nasce - se nasce não cresce
pois que para mim, o amor não levanta vôo
é inerte - inteiro pouso - insustentável na 'leveza' do ser
Lenita Gonçalves
Enviado por Lenita Gonçalves em 31/08/2007
Código do texto: T632371

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Lenita Gonçalves). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Lenita Gonçalves
São Paulo - São Paulo - Brasil
61 textos (2229 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 22/08/17 10:10)