Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

>ONZE BADALADAS E MEIA

Todos os dias o relógio badala
É rotina ao ouvido apurado
Café, almoço, merenda, trabalho
Mas às onze e meia é tudo sagrado.

A noite repousa em silêncio
O vento sussurra na janela aberta
O frio penetra no quarto sagrado
Lençóis perfumados estão de alerta

A inércia do sono domina o cansaço
Os sonhos evadem-se encontra o amado
Trazendo uma rosa vermelha do lado
É primavera espirrando perfumes alados

Os olhos se abrem sem sorriso nos lábios
Uma lágrima cai tanto amor dedicado!
Foram sós onze badaladas e meio tocadas
Um bilhete na janela uma rosa do amado.

Mote do Fórum do RL




Sonia Nogueira
Enviado por Sonia Nogueira em 03/09/2007
Código do texto: T636720

Copyright © 2007. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Livros à venda

Sobre a autora
Sonia Nogueira
Fortaleza - Ceará - Brasil
2364 textos (128658 leituras)
13 e-livros (686 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 22/10/17 17:34)
Sonia Nogueira

Site do Escritor