Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Amei-te tanto! Não sei ir embora.

Consegui te amar de uma forma única.
Entregando-me de infinitas formas.

Amando-te tornaste divino aos meus olhos,
Então te perdoei por ser mortal.

Às vezes sinto que não és tu que atrai,
Mas o perigo que a entrega representa.

Amei-te eternamente de uma maneira plena,
Preparando minha alma para a despedida.

E pensava que por te amar eternamente "enquanto dure"
Conseguia amar melhor.

Sempre sabendo que se tornar sinônimo de lágrimas,
É porque chegou à hora de partir

..............................

Agora eu sofro.
Sofro porque fico.
E fico porque não sei ir embora.

Apesar do sofrimento,
Não creio que preferisse não tê-lo vivido.
Porque foi através dele que conheci
a diferença da vida e da morte.
Como podemos tirar vida daquilo que já parece morto.
Como duas mãos generosas estendidas,
podem mudar a nossa sorte.


Mel L Frankust
Enviado por Mel L Frankust em 04/09/2007
Reeditado em 04/09/2007
Código do texto: T637959

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (cite o nome do autor). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Mel L Frankust
Goiânia - Goiás - Brasil
749 textos (34687 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 18/08/17 06:32)
Mel L Frankust