Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Sou tua escrava, meu Senhor!

Sou tua escrava e docemente te saúdo.
Nos meus versos eu te canto, com o fervor de uma prece.
Ofereço-te o tapete mais caro, que um ser ao outro oferece.
É meu corpo, minha pele alva de veludo e meus loiros cabelos, enfim tudo!

Vem meu senhor! Minhas mãos estendidas suplicam os teus abraços.
Quero cuidar de ti, com o maior zelo, aliviando tuas angústias e tédio.
Quero desamarrar de forma branda todos os laços.
Que te prendem nos desencontros da vida e oferecer-me como teu remédio.

Deixa-me ofertar-te todos os mistérios e caminhos do meu regaço.
Beijar-te às mãos, o rosto, o corpo, como o verso mais sublime já feito.
Estaremos tão próximos, unindo nossas almas em um íntimo abraço.
Fecha-me os olhos meu senhor! Com o frescor do teu beijo tão perfeito!

E a teus pés, esperarei calmamente, desnudada de qualquer lembrança.
O momento é teu, já conheces os meus caminhos e minha ansiedade,
Vem meu senhor! Quero ser a tua mulher, tua escrava, tua criança.
E juntos, onde poucos já foram, faremos uma viagem para eternidade.
Mel L Frankust
Enviado por Mel L Frankust em 06/09/2007
Código do texto: T641532

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (cite o nome do autor). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Mel L Frankust
Goiânia - Goiás - Brasil
749 textos (34699 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 17/10/17 20:49)
Mel L Frankust