Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Letras 0159 - Desejos meus



 

 

Perdoe-me se não sei o que é solidão,

talvez esse escuro seja somente medo,

quem sabe uma estrada fechada

a caminho da última paixão.

 

 

O não acaba quando o nunca aparece,

depois do dia não existe mais nada,

nem o calor, nem o frio,

nenhum outro corpo comigo anoitece.

 

 

Deixo o tempo olhar meu destino,

não tenho nada de terno no meu hoje,

apenas um pouco de vida um pouco de morte,

estou indo e vindo do meu desatino.

 

 

Poderia alguém um dia reinventar o calor,

habitar minha casa, meus desejos,

tornar-se único um dia ou para sempre

e em meu corpo reinventar o amor.

 

 

13/09/2007

Caio Lucas
Enviado por Caio Lucas em 13/09/2007
Código do texto: T650876
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Caio Lucas
São Paulo - São Paulo - Brasil, 69 anos
4429 textos (116802 leituras)
1 e-livros (168 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 19/08/17 04:40)
Caio Lucas