Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto
Envergonhados:


Amar era tudo, o que eu queria.
Quando aquele dia, eu te encontrei.
Como eu, andavas a sós, procuravas.
Alguém para te fazer, companhia.

Foi de repente, na mesma calçada.
Batemos de frente, abraçados caímos.
Chorastes, me xingastes, me batestes.
Mas ali tu ficaste, a mim abraçada.

Sem nada dizer, meus lábios beijou.
Retribui seu beijo, nada podia fazer.
O calor de seu corpo, contra ao meu,
A fera adormecida em mim acordou.

Ainda abraçado, ouvimos alguém dizer.
Já vi de tudo, menos fazer amor assim.
Em plena calçada, que falta de respeito.
Com tanto motel, é não ter o que fazer.

Envergonhados, levantamos da calçada.
Terminei por rir, ao ver a cara da senhora.
Bem vestida, no rosto um sorriso maroto.
Nos jogou um beijo, partiu dando risada.

Hoje quando te lembro, o mico que pagamos.
Divertes-te, me pedes, para fazermos de novo.
Como fingirmos, um encontro, eu lhe pergunto.
Sei lá diz ela, mas é na nossa cama que ficamos.




Volnei Rijo Braga
Enviado por Volnei Rijo Braga em 01/11/2005
Reeditado em 05/10/2008
Código do texto: T65926
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Volnei Rijo Braga
Pelotas - Rio Grande do Sul - Brasil, 69 anos
2314 textos (147459 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 22:58)
Volnei Rijo Braga