Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

NOTAS DO MEU CORPO

By Regilene Rodrigues Neves

Vem por inteiro e sem segredos
Peças caem como pétalas de mim
Prenda-me em teus braços a beira da noite
Venha pra mim assim molhado
Despeja seu rio no meu cálice
Minha emoção é água
Beba em meu corpo
Sacie tua sede de mar

Cai em gotas meu perfume
Em pele do teu corpo
Vista-se da camada fina dos meus poros
Abertos em sôfrega espera

Deita e me sopre tua canção
Sinta o desejo como crepúsculo do silencio
Sorrateiro no tempo da espera
Sinta nas pontas dos dedos
Os sentidos em volúpia carnal
Seja meu bem meu mal
Castiga e me toma atiça
Prenda-me em tuas mãos
Ouse, mas não se entregue
Quero a tortura do momento

Deixe a bússola partilhar das horas lentas
No caminho da sedução
Sofra essa delícia comigo
Absorva a essência em cálice derramado
Molhe teu lábio na taça erguida
Passe teu desejo em mim
Grite para que o infinito
Alcance nosso prazer

Olha-me como quem pede uma estrela a lua
Deixa-me sussurrar folhas ao vento
Soprar minhas pétalas na relva do teu peito
Para colher a rosa do êxtase do amor!

Vem comigo
Na volta esqueça as horas do sempre
De um cotidiano sem vida
Toca-me feito música
Faça-me teu instrumento
Seu violino de carne
Perca-se nas curvas vivas
Até que encontre a estrada íntima explorada nessa nota

Os acordes serão serenatas de sentimentos afinados
Em ritmo de emoção!

Sinto-me inocência deslizando nas alturas
Por seus andares cheios de noite densa
De uma noturna cavalgada
Desvendada em face arfante dos desejos
Mostra a sua vertente incomum
Que eu desfolho essa vontade nua
Desperta esse seu lado cigano
Pois que meu leite é morno
E é rosa franca no gemido de um sorriso

Deixa seu barco navegar meu rio
Ao encontro do leito derramar suas águas
Carrego no peito uma ânsia
Afoga-me nesse espelho de luz madrugada a fora
A flor do sexo queima minhas entranhas
O gozo vem fluindo em entrega do mar
A voz que lhe pede a terra
Grita, querendo fincar a bandeira do infinito

As ondas pairam para que a noite adormeça
A música é o único acorde do mar não há tempo nem hora
Deixa que o dia amanheça nessa sua onda de espuma quente
Sob os olhos do relento em fascinação da noite a beira do mar...




 





 


regipoeta
Enviado por regipoeta em 02/11/2005
Código do texto: T66484

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (cite o nome do autor e o link para a obra original). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
regipoeta
Goiânia - Goiás - Brasil, 54 anos
1312 textos (134431 leituras)
22 e-livros (7176 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 10/12/16 09:03)
regipoeta